Extrema fica sem água

Sem informações oficiais, cidadão extremense raciona água

Por Aline Eusébio
A cidade de Extrema ficou sem água hoje. Na filial da empresa de saneamento responsável pela distribuição, a Copasa, os funcionários foram instruídos a não oferecer informações, em virtude do ano eleitoral.
A única informação que a emissora local Portal FM noticiou foi a ausência de previsão para a regularização no abastecimento. A orientação para os moradores era a de racionar ao máximo o uso. Boatos davam conta que o problema está na bomba que capta a água do rio Jaguari para tratamento. Esta informação, no entanto, não foi confirmada.
Na medida em que os reservatórios de água se esgotavam, as lojas e comércios fechavam, e cartazes foram anexados para informar o que a maioria da população já havia constatado:“Fechado por falta de água na cidade”.
Na clínica de hemodiálise Sul Mineira o abastecimento foi feito por um a caminhão pipa. Por dia, a clínica utiliza cerca de 50 mil litros de água. O caminhão também supriu o pronto-socorro da cidade, conforme contou Vivian Diniz, do departamento de Saúde. “Temos que ficar prevenidos para o caso de emergências”, garantiu.
No salão de cabeleireiro do Nilton, Rívia Marques informou que para atender a clientela usaram a água do chuveiro. “Só espero que amanhã a situação já esteja normalizada, porque com certeza usaremos hoje todo o estoque da caixa d’água”, lamentou.
Sem água tratada o cidadão extremense viveu, hoje, uma doce ironia. Enquanto as torneiras mostravam-se secas, o clima úmido trouxe chuva abundantemente durante boa parte do dia.

Voto nulo: verdade ou falácia?

Por Victor de Paula

Ano eleitoral, promessas, pessoas com um sorriso amarelo nos cumprimentado na rua ou batendo na porta de nossas casas pedindo votos, são estes os poucos dias nos quais a opinião, o bom senso e é claro o próprio cidadão parecem ser importante. Como todas as eleições vemos diversos artistas, comediantes, músicos, jogadores de futebol, dançarinas e sub celebridades instantâneas do Big Brother se candidatando e é nesse momento, quando o cidadão vê o futuro do seu país perdido que surge lá no fundo uma questão:

Se 50% mais 1 anularem o voto, é convocada uma nova eleição?

Deparei com a mesma questão na quinta-feira – 23/09/2010 – na rede social twitter. Tudo começou quando recebi um twitt do jornalista Fabiano Angélico, coordenador do projeto da ONG Transparência Brasil e especialista em Transparência, Accountability e Combate à Corrupção (@fangelico):

O twitt me despertou o interesse e fui pesquisar qual polêmica o apresentador do humorístico CQC estava criando e acessei o link indicado por Angélico (http://bit.ly/9GiNHH):

Evandro Spinelli jornalista da Folha de São Paulo questionando o apresentador Marcelo Tas sobre o equivoco.

Marcelo Soares repórter de Política da MTV, colocando os “pingos nos is”.

Twitt do Jornalista Marcelo Tas que gerou a polêmica.

Colocando os “pingos nos Is”

De acordo com o Tribunal Superior eleitoral – TSE – mesmo que 50% mais 1 anulem os votos uma eleição não é cancelada, pois “votos nulos por manifestação apolítica dos eleitores (protesto) não acarretam a anulação de eleição”. A questão, confunde à anos os eleitores por um equivoco na interpretação do capítulo VI “Das Nulidades da Votação” artigo 224 da legislação Eleitoral que diz:

“Art. 224. Se a nulidade atingir mais de metade dos votos do País nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do Município nas eleições municipais julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de vinte a quarenta dias.”

A má interpretação do artigo tem gerado à muito tempo correntes e diversas campanhas na internet, camisetas, panfletos e passeatas.

Subentende-se, analisando o arquivo fora de seu contexto, que se a nulidade dos votos atingirem mais da metade do número de votos válidos haverá uma nova eleição, mas não que serão convocados novos candidatos. A Legislação eleitoral prevê em apenas um momento que um novo candidato será convocado para uma eleição. Isto acontece apenas “No caso de renúncia ou morte, concorrerá à eleição prevista no parágrafo anterior o substituto registrado pelo mesmo partido político ou coligação partidária” segundo o inciso 2 do artigo 213.

Mas o que ocorre se acontecer o que está previsto no Art. 224?

Para compreender melhor esta questão temos que ter claros algumas normas estabelecidas pela Legislação Eleitoral Brasileira. Em primeiro momento só é considerado um candidato eleito aquele que “registrado por partido político, obtiver a maioria absoluta de votos, não computados os em branco e os nulos” (Artigo 77 inciso 2). O Inciso 3 do Artigo 77 complementa dizendo:

§ 3o Se nenhum candidato alcançar maioria absoluta na primeira votação, far-se-á nova eleição em até vinte dias após a proclamação do resultado, concorrendo os dois candidatos mais votados e considerando-se eleito aquele que obtiver a maioria dos votos válidos.

Mas se mesmo no caso de nenhum candidato ter a maioria dos votos validos o artigo 213 dita que :

“Art. 213 Não se verificando a maioria absoluta, o Congresso Nacional, dentro de quinze dias após haver recebido a respectiva comunicação do presidente do Tribunal Superior Eleitoral, reunir-se-á em sessão pública para se manifestar sobre o candidato mais votado, que será considerado eleito se, em escrutínio secreto, obtiver metade mais um dos votos dos seus membros.”

Desta forma a única ferramenta para contribuir para um Brasil mais justo, com governantes preparados e para que não haja corrupção é pesquisando o seu candidato, estudando suas proposta, colocando na balança os objetivos, o passado do candidato, se ele já foi eleito, procure saber as promessas que ele fez e veja se cumpriu, preze pela ficha limpa e a integridade de seu candidato e desta forma você contribuirá por um Brasil melhor.

Para saber um pouco mais sobre o seu futuro candidato acesse os links abaixo:

http://www.excelencias.org.br/

http://www.fichalimpa.org.br/

http://www.transparencia.org.br/index.html

http://divulgacand2010.tse.jus.br/divulgacand2010/

Brasil perde 20 bilhões anuais com pirataria e falsificação

Por Carolina Lemes

Com a internet e os computadores a pirataria vem crescendo cada vez mais no mundo todo. Segundo o relatório anual da Business Software Alliance (BSA), o Brasil hoje encontra-se em 5º lugar no ranking mundial de pirataria de softwares. Para o diretor da Organização não-governamental Associação Brasileira de Combate à Falsificação, Rodolpho Ramazzini, o problema não acabará enquanto o governo não diminuir a carga tributária que incide sobre os setores mais atingidos.

Ft. Divulgação

Produtos falsificados ou pirateados apresentam qualidade inferior e também podem ser perigosos, ainda mais quando exigem uma tecnologia maior, ou mesmo em relação a medicamentos, segundo Ramazzini, além de provocar grandes impactos na economia do País: “O Brasil perde aproximadamente 20 bilhões de dólares anuais com o contrabando e a falsificação de produtos industrializados”.

Segundo o também advogado Rodolpho Ramazzini, existem soluções eficazes para diminuir e até mesmo acabar com a pirataria. Uma delas seria aumentar os agentes da Receita e Polícia Federal nas fronteiras dos portos e aeroportos do Brasil, bem como o governo diminuir as cargas tributárias dos produtos mais atingidos por essa prática, pois assim as mercadorias não seriam tão interessantes para o consumidor em relação ao preço.

A internet se tornou uma aliada na propagação da falsificação e os produtos mais pirateados no Brasil são os CDs e os DVDs, segundo uma pesquisa realizada pela A Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), que entrevistou mil domicílios de 70 cidades do País. Várias lojas que vendiam essas mercadorias foram fechadas, como é o caso da “Bolão Discos” que era tradicional em Bragança Paulista com mais de 20 anos de comércio. O seu antigo proprietário, Luiz Roberto, confirma os motivos do fechamento: “Fomos obrigados a sair do ramo devido a pirataria e a internet, onde as pessoas fazem downloads do que querem, tanto música como vídeo Não temos mais chance nenhuma de sobrevivência com esse tipo de comércio, ficamos para trás”.

A pirataria abrange a reprodução, a distribuição e a venda de produtos não legalizados, ou seja, que não têm autorização para esses fins e nem pagamento dos direitos autorais. Para Rodolpho Ramazzini adquirir produtos pirateados é uma forma de incentivar e estimular a criminalidade: “As mesmas quadrilhas que se especializaram no contrabando de produtos industrializados, trazendo-os para o território brasileiro e a falsificação dentro do País, são as mesmas quadrilhas que fazem o contrabando de armas, tráfico de drogas. Ou seja, quando você adquire um produto falsificado você está ajudando essas quadrilhas a lavarem dinheiro”.

Banda Restart faz show em Atibaia

 Roupas coloridas e músicas que contagiam os jovens e adolescentes. Essa é a marca registrada da Banda Restart, considerada a banda “da hora” na linguagem da  garotada que curte música diariamente.

 Por Gerson Silva
 
O show tão esperado pelos adolescentes, preenche uma lacuna deixada pela banca no Festival de Inverno da cidade, quando a apresentação precisou ser cancelado em virtude do mal tempo. Desta vez, o espetáculo ocorreu na arena do Centro de Convenções Victor Brecheret, no dia sete de setembro.
 As atrações começariam às 16hs, com apresentação da Banda local It’s (uma banda local) que foi cancelada para não atrasar o show principal. A chuva, mais uma vez, atrapalhou e atrasou o show que começou às 20:30hs.

A banda do momento agita a garotada de Atibaia. Ft. Prefeitura de Atibaia.

Indignado com o atraso, o estudante e músico Flávio Brajão relembrou o cancelamento do festival de inverno, ponderando que show de grandes proporções que começa atrasado em virtude de “uma mera garoa” evidencia , ao seu ver, “uma tremenda falta de profissionalismo do pessoal da técnica e da banda”.
Segundo Brajão, a qualidade do som também não era das

A arena do Centro de Convenções ficou lotada apesar da chuva e do atraso. Ft. Prefeitura de Atibaia

melhores. “Logo na passagem dos instrumentos já era possível notar o quanto aquilo seria torturante, pelo menos pra mim”, destacou. Os adolescentes, por sua vez, nem se importavam com a má qualidade do som. Eles gritavam incessantemente nas quatro horas de atraso e debaixo de chuva. Segundo dados da Prefeitura de Atibaia, cerca de 10 mil pessoas —com idade entre 10 a 15 anos—

imprensa foi proibida de registrar. Fotos somente dos organizadores. Ft. Prefeitura de Atibaia

 prestigiaram o show de 1hora, que incluiu a música “Não quero dinheiro”, de Tim Maia.

 Outro problema considerado desagradável nesse evento  foi a proibição à imprensa de fotografar ou registrar imagens do show, a pedido da assessoria da banda. Não bastasse isso, os organizadores do show também permitiram a venda de bebidas alcoólicas, ignorando que  a maioria do público presente era composto por crianças e adolescentes.
Apesar destes problemas, os fãs gostaram. Brajão, por exemplo, mesmo sem perceber completamente a proposta da banda, ficou contente com a alegria da filha, que além de dançar muito também deixou de lado sua timidez. De sua parte, fará um esforço para entender os motivos que levam essa garotada emo a “trocar a cor do féretro por calças, camisetas e tênis coloridos, bem como o uso de cortes de cabelos despenteados e disformes. A banda Restart cobra geralmente acima de R$ 30 mil, e na última quinta-feira (16), foi destaque no Prêmio VMB 2010, tendo recebido premiação nas cinco categorias indicadas.

Atibaia usa lei para combater a dengue

Agora os moradores são obrigados a abrir as portas para os agentes

Por Andressa Nascimento

A partir de agora os agentes que monitoram os focos de dengue em Atibaia não poderão mais ser impedidos de entrar nas casas, isto é o que diz o texto da nova lei municipal aprovada na última quinta-feira, dia 16. Pela lei, os moradores e comerciantes  serão obrigados a manterem suas propriedades livres de focos e a abrirem as portas para a inspeção.
 Os proprietários de terrenos abandonados e de casas fechadas, como é o caso das residências de veraneio, que apresentam acúmulo de água em garrafas, pneus ou quaisquer localidades que possam servir de foco para o mosquito, serão notificados e, se  não fizerem a limpeza, receberão multas.
 Segundo o integrante da Coordenadoria de Combate à Dengue da Secretaria Municipal de Saúde, Carlos Garcia Louzada, os bairros do Alvinópolis e Jardim Imperial serão os primeiros a receberem os agentes neste ano. “ Durante a campanha, que terá início em outubro, começaremos pelos dois bairros mais populosos da cidade. Isto significa que há neles mais possibilidade de encontrarmos focos do mosquito”, explicou Louzada.
 O médico Rafael Ferraz de Souza alerta sobre a possibilidade do mosquito estar sofrendo mutações. “Esta doença é tipicamente de verão, mas mesmo com o período de estiagem o mosquito continuou se multiplicando na cidade. É possível que ele esteja sofrendo mutações ao apresentar resistência e adaptação  a este clima seco e frio”, alertou.
 De acordo com o texto da lei, ainda falta conscientização, motivo que causou polêmica entre alguns moradores. “As pessoas que convivem com o medo da violência, por isso não se sentem seguras para abrirem as portas de suas casas para os possíveis’ agentes“, disse a moradora do Centro, Vera Noggueira.“Acredito que a garantia de que os terrenos baldios terão que ser limpos iguala as responsabilidades de todos os munícipes na manutenção do combate á dengue”, ressaltou o proprietário de um bar no Alvinópolis, Ernani Soares. E este é o principal alerta dos especialistas na área: apenas um foco é capaz de proliferar a doença.
 De acordo com a Secretaria de Saúde de Atibaia, já são mais de 50 casos confirmados e mais de 5 milhões em todo o Brasil.

Cezira Colturato homenageia Atibaia

  Artista comemora 30 anos com “Nossa Terra, Nossa Gente”  retratando personagens e  seu cotidiano 

  

Ft. Marta Alvim

                                                                             Por Marta Alvim 

A beleza das gentes e das manifestações religiosas e culturais de Atibaia estão representadas na obra da artista plástica Cezira Colturato em sua exposição “Nossa Terra, Nossa Gente”, que será aberta no dia 1º de outubro, às 19h, no Centro de Convenções Victor Brecheret, em Atibaia. A mostra revela o olhar sensível da artista que, nos últimos três anos, se debruçou sobre o tema para a realização desta nova série. 

 Paulistana de nascimento, Cezira Colturato elegeu Atibaia para viver há mais de 30 anos. Esta exposição representa uma forma de agradecimento à cidade que a acolheu. “Já participei de exposições em diversos países da Europa e da América Latina, mas não estaria realizada se não fizesse uma especialmente dedicada a Atibaia, a minha cidade”, conta a artista. 

 Muito além da beleza plástica e da suficiência técnica de suas obras, Colturato revela-se uma artista engajada, preocupada com a exclusão social no Brasil e no mundo todo. Assim como em tantos outros retratos e situações, é no homem, na sua essência, que Cezira encontra a matéria prima para sua inspiração. Como uma antropóloga, uma pesquisadora, ela colhe gestos, emoções e expressões humanas pelo mundo afora e depois os reproduz em forma de manifesto poético. 

 A artista justifica: “caminhando pelas cidades, meu olhar sempre vai em direção às pessoas que enfrentam dificuldades, pode ser um menino morador de rua em São Paulo ou uma vendedora no mercado na Índia”. E completa: “admiro a força dos que resistem à miséria, ao abandono, e procuro destacar a dignidade com que estas pessoas enfrentam a vida.” 

  

Ft. Marta Alvim

  

Como bem apontou o crítico de arte Emanuel von Lauenstein Massarani: “a pintura de Cezira Colturato é testemunho romântico e realista desse mundo, todo envolvido de um sopro de inocente e singela poesia.”  

   

Ao comemorar 30 anos dedicados à pintura, a exposição reunirá ainda grande parte da produção da artista, incluindo obras premiadas em importantes salões na França, Itália e Argentina, como é o caso do painel “Razão de existir”, 2º grande prêmio na IV Biennale Internazionale Di Roma. Além dos 40 painéis o público poderá apreciar 16 objetos de arte e a instalação “Nossa Gente”, um registro fotográfico de famílias de Atibaia que a artista nomeou co-autores da mostra.  

Formada em Desenho e Pintura pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, Colturato aperfeiçou seus estudos com Alfredo Delsanto, Alberto Beutenmüller e Agnaldo Farias, e descobriu na técnica do giz pastel sua principal ferramenta de expressão. É considerada atualmente uma das melhores pastelistas brasileiras. Na elaboração de suas pinturas também utiliza com maestria materiais inusitados, combinando harmoniosamente plotagens e colagens de diversos elementos criando planos de relevo e tridimensionalidade.  

Dentre as participações em exposições internacionais destacam-se: Salon de la Société Nationale des Beaux Arts, Salle Le Nôtre, Carrousel du Louvre, (França), V Biennale Internazionale dell’Arte Contemporanea (Itália),  102º Salon d’Automne 2005(França), Museu Dardo Rocha (Argentina) e Museu Bastion del Carmo (Uruguai).  

A exposição estará aberta à visitação até 31 de outubro. De terça a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 10h às 17h. Arte do convite: Victor de Paula. Apoio: Prefeitura Municipal de Atibaia.

Extrema comemora 109 anos de emancipação política

  Por Aline Eusébio

 Em 16 de setembro, a cidade sul mineira Extrema completou 109 anos de emancipação política. Entretanto, em cumprimento com um Decreto-lei Municipal nº 2.301, de 1º de fevereiro de 2010, o evento foi transferido para o dia 17, sexta-feira, para que se possibilitasse um final de semana prolongado.

No evento de comemoração que se estendeu por todo o final de semana, apresentaram-se a Fanfarra Municipal, a Banda do Bem, o Grupo de Terceira Idade Serestas Renascer, covers de Raul Seixas e Legião Urbana, Ediana Maskaro (micanejo), apresentação do show Minas ao Luar e Grupo Play Dance, além de Tom Woody e sua banda, vencedor do Festival Nacional de Canção (FENAC) 2010. Nos intervalos entre as apresentações, músicas eletrônicas embalaram a Praça Coronel Simeão. Quem passou pela festa também pôde visitar a exposição fotográfica “Extrema: 100 anos de história”.

Além de praças de alimentação houve também atrações para as crianças, com piscina de bolinha, cama-elástica, castelo pupa – pula e tobogã gigante, pipoca e algodão doce. Ao meio-dia, houve queima de fogos e o tradicional “parabéns a você” embalou a distribuição de bolo.

Extrema está situada no sul de Minas Gerais e tem uma população estimada em 27 mil pessoas. A localização privilegiada transformou a cidade num ponto estratégico nas rotas comerciais criadas pelos portugueses nos séculos passados. Já neste século, Extrema se tornou um bom negócio para grandes empresas. A 100 km de São Paulo e com benefício em impostos, grandes empresas escolheram o lugar para instalações. Exemplo destas empresas são Bauducco, Cophenhagen, Jhonson & Jhonson, Fiat, Centauro, Rexan, Wilson, dentre outras.

Este crescimento garantiu à cidade os títulos de segunda melhor renda per capta e a segundo melhor crescimento de Minas Gerais. Entretanto, as características de pólo industrial não impediram que Extrema fosse considerada a segunda cidade mineira em qualidade de vida.

Nestes 109 anos de emancipação político-administrativa, Extrema teve 14 prefeitos em 23 mandatos, dos quais nos últimos seis vem sendo revezado entre dois integrantes do PSDB.