Uma nova face da arte e poesia contemporânea: Thiago Cervan

Cervan, um poeta engajado em questões sociais atuais

“Mais uma pessoa como existem milhões de outras no Brasil que tenta produzir, que não agüenta ficar parado”, palavras de Thiago Cervan, definindo ele mesmo. Formado em publicidade,  25 anos,  apresenta interesse por literatura desde os 15, quando começou a escrever suas primeiras poesias. Com seus dotes para a escrita, foi premiado no concurso “Cidade Porto Seguro Crônicas”, em 2009, que lhe rendeu participação na antologi “Balões Coloridos”. Publicou “Microcontos” em 2010 e atualmente está trabalhando no lançamento de seu primeiro livro de poesias o “Com Verso Fiado” e é um dos idealizadores do Sarau do Manolo.

Cervan possui uma lista imensa de autores que o influenciam, desde Bukowski, Machado de Assis, Lima Barreto até Marcelino Freire e André Santana. Na poesia fortes influências são: Paulo Leminski, Mário Quintana, Manuel Bandeira. Um destaque para o Chacal, um autor que faz um retrato da atualidade e que dialoga com as obras de Thiago. “A minha identificação com a obra de Chacal é consciente. Quando se começa a escrever, é algo muito seu e você não tem muita noção do que pode acontecer mais adiante. Hoje eu quero que as coisas que eu faço sejam pop, no sentido de que a população tenha acesso e eu consiga conversar com as pessoas através de meu trabalho”, diz o autor.

Cervan comenta que muita gente produz cultura no Brasil, mas que o acesso é precário. Para ele nós vivemos em um país em que muita música é consumida, mas nem sempre a música que é consumida representa todas as pessoas que produzem música. “Muita gente publica livro, publicar no Brasil não é um problema, mas não há público-leitor. Por isso acredito que o artista além de produzir ele tem que ter uma atuação de formação de público. Da forma que der para fazer, ir em debates, escolas, etc. É contraditório, apesar de termos artistas fazendo sucesso fora do Brasil, aqui temos muita gente boa que não é publicada, por falta de acesso”, conclui Thiago.

Anúncios