Família: o futuro chegará com mudanças

A maior instituição formada em uma constante evolução

familia-algo-que-nao-vem-do-homem.html

Por: Gabriel Milani

Desde o início de tudo, o ser humano se une a outras pessoas para viverem juntos uns em favor dos outros, seja por laços afetivos e a partir daí por grau de parentesco. Biblicamente falando, o primeiro homem e a primeira mulher da Terra se juntaram e tiveram filhos, assim, formando a primeira família da história. Então, formalmente, família definiu-se como um conjunto de pessoas que possuem parentesco entre si, de um modo geral é mais comum ver uma família formada por pai, mãe e filhos. As árvores genealógicas apresentam um crescimento constante do início dos tempos que se estende até os dias de hoje, famílias formavam povoados, que formavam cidades, que por sua vez formavam civilizações. A família sempre foi a maior unidade da sociedade, essencial para o convívio humanitário e o desenvolvimento populacional.

Recentemente, o termo “família” recebeu diversas conceptualizações por parte de toda a sociedade, uma família não mais é formada apenas por pai, mãe e prole. Já se usa o termo para definir um grupo de pessoas que vivem juntas e cuidam uns dos outros, mesmo sem ter certo grau de parentesco entre si, se formaram novos modelos de organizações familiares. As responsabilidades e deveres de cada membro da família foram também se alterando, cresceram o número de famílias chefiadas pela mãe com a crescente inclusão feminina no mercado de trabalho e também pelo aumento considerável no número de divórcios, com isso, mudaram também as percepções das crianças, que por necessidade, cresceram sem a figura dos pais presentes em sua infância. Isso mostra bem o panorama atual da família contemporânea. Famílias sempre fizeram e até hoje fazem parte da história. Uma família tradicional, tem por sua vez o pai como o provedor do lar, ou seja, aquele responsável pelo sustento, segurança e por zelar pelo bem de todos aqueles que habitam em sua residência, a mãe, responsável por ser o alicerce do pai, aquela que mantém o equilíbrio emocional entre os familiares e toma importantes decisões relacionadas ao lar, finalmente os filhos, que tem total dever de serem submissos ao pais, respeitando, obedecendo e acatando a todas as ordens, assim aprendendo com eles para que quando chegar a sua vez de iniciar uma família, sempre manter as situações sob controle. Porém uma série de fatores vem alterando essa estrutura familiar, principalmente a diminuição no número de formação de laços matrimoniais, que teve constante queda no início do século XX, pessoas estão optando por outras formas de se unirem e formar famílias, como por exemplo a chamada união instável, popularmente conhecida como “amigar” ou “amasiar”. Com o passar dos anos, diminuiu também o número de filhos por família, nó século passado a média era de 8 a 12 filhos por casal no Brasil, agora, o número é bem diferente, cada casal no país possui em média de 1 a três filhos. Em contrapartida o número de casas e residências no Brasil cresce constantemente, tanto com a urbanização de áreas rurais e a formação de residenciais particulares ou condomínios fechados.

Com tudo isso, paramos para pensar e nos perguntar “como será o relacionamento familiar em um futuro próximo? ” O número de famílias tende a crescer ou decair? Analisando os fatos observar uma notável diferença em alguns aspectos familiares no Brasil ao longo dos anos, por exemplo: No século passado a população do país era de aproximadamente 169,9 milhões de habitantes, porém no início do século XXI esse número deu um grande salto para 200,4 milhões. A expectativa de vida de um brasileiro tinha uma média de 64,8 anos, porém agora, também subiu para 73,2 anos. Se forma um grande paradoxo, quando pensamos em família logo pensamos em um grande laço afetivo entre pessoas que se amam, o que pode afligir os pensamentos relacionados à família é a constante mudança na sociedade e comportamento das pessoas como um todo. Principalmente o avanço da tecnologia, como isso afeta diretamente o cérebro humano, forma-se uma nova pergunta: como será o relacionamento familiar no futuro?

Estima-se que o número de seres humanos continue aumentando, com isso, crescerá também a quantidade de residências e moradias nas grandes cidades e a área rural irá mudar para uma urbanização. A tecnologia estará mais forte e mais predominante na vida individual de cada pessoa, logo, de cada membro de uma família, porém o relacionamento entre pessoas de uma mesma família sempre irá depender do caráter pessoal de cada membro, o que podemos imaginar é uma constante evolução em fatores cruciais para a convivência familiar, como tecnologia, responsabilidades, custo de vida e etc. Com um país e consequentemente um mundo mais populoso, as famílias continuarão se multiplicando e sendo ainda, a maior instituição já formada na história da humanidade.

Anúncios

Comente este post ...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s