Diversidade de pessoas

 

IMG_6832

TUDO FRESCO: vendedores e consumidores priorizam o frescor das mercadorias. Foto: Fabio Galuppi

 

Jessica Tavares

Dois sábados seguidos —um para reconhecimento do campo e outro para atuação—serviram para acionamento do laboratório de atuação jornalística dos alunos de graduação desta habilitação da faculdade de Atibaia. Todos fizeram um trabalho de imersão na feira do Alvinópolis, bairro conhecido e muito populoso de Atibaia. O trabalho foi motivado pelo coordenador do curso, professor Osni Tadeu Dias, que esteve nos dois encontros e estimulou a todos na interação com o ambiente e na busca de pessoas e de histórias. Deste modo foi possível conhecer muitas pessoas que vivem da feira e a tornam cada vez mais viva.

CHEIRO VERDE: Temperos e ervas sempre são procurados para refeições especiais. Foto: Fabio Galuppi

Chegando ao local marcado por volta das 8hs da manhã, um típico sábado para um passeio na feira, incluindo  beliscar uns petiscos no trajeto. E não demorou para que todos sentissem o cheirinho do pastel e do caldo de cana. Tudo isso parecia combinado para animar a nossa chegada, mas o cenário era suficiente real para que todos aderissem de imediato.

IMG_6764

COBERTURA: repórter é orientada por Osni Dias no auge da feira, Foto: Fabio Galuppi

Percorrendo a feira com o olhar curioso, encontramos uma barraca de ervas medicinais.  Hector Suarez, um senhor de cabelos grisalhos nos atendeu muito solícito. Sua esposa, dona Neli Ortiz, chega e nos conta, muito carismática, o porquê do trabalho na barraca de ervas medicinais. “Há muito tempo trabalhei com hortifrutis, mas depois de um curso sobre ervas decidi me dedicar a ajudar às pessoas com o meu conhecimento.” Dona Neli mostra alguns saquinhos de ervas que tem mais saída na sua barraca. Sobre dúvidas para oferecer determinada erva, Neli mostra alguns livros que contém as respostas necessárias, caso as dúvidas surjam.

Durante o encontro na feira podemos reparar que ela é praticamente dividida: de um lado, a maioria das barracas eram de roupas, bolsas, brinquedos e sapatos. Do outro lado, a parte de alimentação, onde a barracas de hortifrútis, pastéis, pamonhas, ervas medicinais, flores e a culinária japonesa e baiana atraem a atenção dos consumidores

BARRACA AZUL: Cores determinam a categoria dos produtos na feira de Alvinópolis. Foto: Fabio Galuppi

Isso não atrapalhava os curiosos na procura por algo, em especial. Além das histórias, encontramos amigos, familiares e pessoas que pouco conhecemos, mas que acordaram cedo pra montar sua barraca e vender seus produtos sempre frescos. E nós, de forma prazerosa e gratificante, aproveitamos todo esse cuidado e apreço que eles têm em cada detalhe na feira do Alvinópolis.

Leia mais

Anúncios

Comente este post ...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s