Parque pintura Zanoni

Nnonononono

Nele, ONG que monitora vegetação, praças, vida do lago e modos de uso e visitação.

Maisa Clemente e Bianca Stapani

“Política é um imprevisto”. São essas as palavras de um exímio contador de histórias. Um poeta de 81 anos e filho do agrimensor e ex-prefeito de Atibaia, Edmundo Zanoni. Mesmo após dois AVCs,  Renato lembra claramente os fatos que fizeram do Parque Edmundo Zanoni uma das grandes atrações turísticas desta cidade, considerada a Estância das Flores e Morangos.

Segundo Zanoni, turismo deve ser feito por várias pessoas, para que todas possam desfrutar da mesma alegria ao contemplar o belo e o que emociona. É preciso ter com quem compartilhar. Por isso o parque conta com uma área de 38.700 m2, pedalinhos, flores, lanchonete, museu de história natural e um vasto gramado. Além disso, uma paisagem que para muitos se assemelha a uma pintura clássica.

A cidade soube reconhecer a contribuição de Edmundo Zanoni, pois quando alcançou seu sonho em ser prefeito, em 10 de agosto de 1956, deixou de ser agrimensor, assumindo um compromisso com a Estancia. A justa homenagem materializou-se quando o povo concedeu seu nome ao parque.

Naquela época, o parque era considerado um clube de campo, cujas terras pertenciam à Câmara Municipal. À ele foi incorporado um lago e a piscina, arrendados pela Prefeitura. No ano de 1938, o clube foi inaugurado num colossal piquenique. A cidade possuía 12.000 habitantes. Percebendo a responsabilidade, Renato ainda criança questiona o pai: “É fácil administrar a cidade?”. Atento à resposta, nota um sorriso e ouve atentamente: “Muito fácil. É só ser vigilante. O prefeito que mandar fazer as coisas e não vigiar está perdido”. Estas palavras o menino, hoje de cabelos grisalhos guardou para toda a vida.

Zanoni era vice na prefeitura, quando os militares impuseram o AI-5. Assumiu a Prefeitura e ficou até morrer. Seu carinho por Atibaia, trouxe o músico português Ricardo Assis Sabóia de Aragão, que trouxe as construções em pedra. E não sai da cabeça do filho as vezes que o pai saia de sua cadeira na prefeitura para descansar embaixo das árvores. Alí estão as memórias do garoto de 81 anos, que embalado em suas lembranças afirma: “velho não sara, velho vive”.


 

Quem vê o parque se impressiona com sua beleza.

O sonho de Zanoni cresceu e hoje a área de 38.700 m2

é um dos cartões postais de Atibaia.


+Humanos … +Lugares …

 

Comente este post ...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s