A cultura milenar dos Taikos

Tatiara Torres

Apresentação de Taiko - Atibaia

Batida forte, altiva e imponente. O som ritmado dos taikos trazem consigo um pouco da história cultural japonesa, capaz de proporcionar um misto de paz e vibração à aqueles que buscam a sinergia que este instrumento é capaz de proporcionar.
Ao ouvir este som, muitos talvez não saibam as origens que remontam ao uso do instrumento. De origem japonesa, os taikos (tambores) são considerados um dos instrumentos sonoros mais antigos. Produzidos a partir da árvore Keyaki (olmo japonês), os instrumentos são ocos, e em suas extremidades são colocadas peles de couro, a fim de produzirem um som mais abafado e agradável.
Os primeiros objetos encontrados datam de oito mil anos, dos períodos Joumon e Yayoi; estima-se que os taikos eram utilizados naquele período como meio de comunicação entre as aldeias. Ouvido a muitas distâncias, foram posteriormente usados nas guerras como sinal de aviso à aproximação de tropas inimigas. Nos séculos XV e XVII serviam de motivação para os soldados, ajudando-os nos comandos e a marcar os passos da marcha.
Além de todas as estas funções, os taikos também fazem parte da religiosidade japonesa. Em cerimônias do shintoismo e budismo, eles são tocados com mais sentimento; acredita-se que os taikos são a morada dos espíritos sagrados, e quando tocados são capazes de fazer com que os deuses atendam os pedidos solicitados.
Atravessando séculos e fronteiras culturais, os tambores japoneses atualmente fazem parte de festividades, tais como a do Bon Odori, e muitas vezes são acompanhados de outros instrumentos, disseminando um pouco mais da história milenar japonesa. Para quem nunca ouviu a batida de um taiko fica o convite!

Anúncios